Novembro Azul: Mês da conscientização e prevenção do câncer de próstata

Em 19/11/2022
Editoria
cover do post Novembro Azul: Mês da conscientização e prevenção do câncer de próstata

Novembro é o mês que celebramos a saúde masculina, trazendo a conscientização sobre a prevenção do câncer de próstata, um tema ainda muito pouco falado.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo tipo mais comum de câncer entre a população masculina, ficando atrás apenas do câncer de pele, e representando 29% dos diagnósticos da doença no país. Dados do Instituto apontam para 65.840 novos casos de câncer de próstata a cada ano.

O câncer de próstata ocorre principalmente em homens mais velhos, e a maior dificuldade que temos, como sociedade, é a desinformação e os mitos acerca do exame. Conversamos com o Dr. Fernando Salles (CRM 521021729), médico urologista que nos tirou algumas dúvidas, confira abaixo a entrevista:

Dr. Fernando Salles

Mude: O que é o câncer de próstata?

Dr. Fernando Salles: O câncer de próstata (adenocarcinoma de próstata) é um tumor que se origina a partir das células deste órgão, e com a evolução da doença pode crescer em direção aos órgãos ao redor (reto, bexiga, vesículas seminais). As células tumorais também podem chegar pela circulação em outras regiões, gerando as metástases, que nesse caso são mais comuns nos ossos.

Mude: E tem cura? Como funciona o tratamento?

Dr. Fernando Salles: Quando a doença está ainda localizada apenas na próstata, ou seja, em sua fase inicial, a cura é possível com o tratamento. Existem diversas modalidades de tratamento disponíveis neste caso, mas os principais tipos de tratamento são a cirurgia que envolve a retirada da próstata ou a radioterapia. Mas, quando a doença chega em um estágio avançado, não falamos mais em cura e sim em controle da doença com medicamentos.

“Felizmente, com o diagnostico precoce, as chances de cura chegam a 90%.”

Dr. Fernando Salles

Mude: Existe algum sintoma alarmante que o homem precisa estar atento a buscar um médico?

Dr. Fernando Salles: A doença inicial, ou seja, na fase com maiores chances de cura, é completamente assintomática. Não é comum haver sintomas miccionais ou outros neste momento. Por isso o rastreio anual é tão importante, pois nos permitirá o diagnóstico precoce em que é possível tratar e curar o paciente do câncer.

Mude: E a partir de que idade é necessário o rastreio anual?

Dr. Fernando Salles: De acordo com as recomendações internacionais, o rastreio de câncer de próstata deve ser inciado aos 50 anos na população geral, aos 45 anos nos pacientes negros ou com histórico familiar da doença, ou aos 40 anos nos pacientes com mutações genéticas específicas. O rastreio anual deve ser feito com a dosagem do PSA no sangue e com o toque retal.

Esse assunto não é brincadeira, em 2021, o Brasil teve 44 mortes por câncer de próstata por dia. Portanto, não deixe de fazer o exame anual.