O futuro do mercado Wellness

Grupo de pessoas se alongando durante a aula de Yoga.

A pandemia nos fez priorizar o cuidado com a saúde e o bem-estar, por isso, o mercado Wellness está se aprimorando cada vez mais rápido, novas tecnologias vão surgindo e novas indústrias vão se criando através da necessidade do consumidor atual. Na primeira matéria dessa editoria, discutiremos sobre o contexto atual em que estamos, para que possamos entender um pouco mais sobre esse novo consumidor.

O que sabemos desse novo consumidor?

Um estudo fornecido pela Companhia de Pesquisa McKinsey atesta: no Brasil, 74.1% dos consumidores estão priorizando sua saúde mais do que faziam há dois ou três anos.

Isso porque a pandemia os fez entender, de forma completa, a necessidade em investir em saúde, cuidado preventivo e saúde mental.

A pesquisa também descobriu que os consumidores tendem a investir mais em Wellness no próximo ano. McKinsey espera que o crescimento anual desse mercado seja de 5-10%.

Segundo a pesquisa, as três categorias de destaque são:

Cuidado preventivo - Novos ecossistemas de cuidado, experiências imersivas, tecnologias avançadas e aplicativos que auxiliam os consumidores a acompanharem de perto sua saúde.

Abertura de discussão - Desde saúde mental à sexualidade, as redes sociais estão permitindo que o consumidor discuta o que antes era indiscutível. Para quem consome, marcas que promovem esse tipo de discussão em suas redes estão mais a frente na sua comunicação.

Medicina natural - A crise global e a defesa da sustentabilidade impulsionam os consumidores à explorarem a cura natural, seja por meio de alimentação, sabedoria ancestral, fitoterapia ou práticas físicas.

O que as marcas podem fazer para se atualizar?

Segundo a WGSN, na matéria The Future of Wellness, os quatro pilares para as marcas e empresas Wellness se atentar são:

  1. Experimentar modelos híbridos: priorizar criar uma combinação de autoatendimento, tele atendimento e atendimento presencial é o futuro.
  2. Oferecer soluções para a ansiedade do dia-a-dia: Consumidores atuais estão cada vez mais estressados e ansiosos. Produtos que ofereçam relaxamento e autoconhecimento são a chave para o atual momento.
  3. Foco nas novas gerações: A geração Z (nascidos entre 1990-2010) e geração Alpha (nascidos de 2010-atualmente) são positivamente afetadas por seus pais, a geração Millenial, e pelas redes sociais a estarem mais atentas à saúde mental e bem-estar.
  4. Crie espaços intencionais: Quanto mais se cria eventos digitais e virtuais com facilidade, mais os eventos presenciais tornam-se grandiosos. É importante criar espaços que sejam intencionalmente relaxantes, sociais, sensoriais ou interativos, para atrair seus consumidores.

Referências: Feeling Good - The Future of the Wellness Market; The Future of Wellness - WGSN.