O início da história do futebol feminino no Brasil

Foto da nossa seleção Brasileira de futebol feminino. Elas estão de uniforme durante o início de um jogo.

O início da história do futebol feminino no Brasil

Uma história de muita luta e várias vitórias

Para contar a história do futebol feminino no Brasil, precisamos lembrar dos momentos em que foi preciso muita coragem para jogar, por isso, invés de lembrarmos gols, vitórias, derrotas e suas personagens incríveis e marcantes, decidimos falar sobre resistência e entender, de uma vez por todas, essa pergunta sem resposta:

Créditos da Imagem: Estadão - Sidney Corrallo

Se nascemos no país do futebol, e futebol é para todos, por que não temos a tradição de torcer para a nossa seleção de futebol feminino?

Os primeiros registros que temos de jogos de futebol jogados por mulheres são na década de 20. Mas foi só em 1940 que o cenário do amadorismo começou a mudar, ainda que escondido - já que a modalidade não era proibida, porém, não era vista com bons olhos. O futebol era considerado um “esporte violento” que não era “de natureza feminina”.

Não demorou muito para que a proibição, de fato, viesse: em 1941 foi instituído um decreto-lei (3199, art 54) que trazia, de forma mais geral, que as mulheres não deveriam praticar esportes que não fossem adequados a sua natureza. Apesar de não ser citado nominalmente, o futebol se enquadrava.

Foi só em 1979 que essa lei foi revogada. Foram 38 anos de proibição.

O fim da proibição, no entanto, não fez tudo mudar de uma hora pra outra. O futebol feminino ainda não recebia estímulo de clubes e federações e não havia sido regulamentado até 1983.

Créditos da Imagem: Acervo Museu do Futebol- Suzana Cavalheiro

Com a regulamentação, foi permitido que se pudesse competir, criar calendários, utilizar estádios, ensinar nas escolas. Mas foi só em 1999 que a seleção brasileira feminina começou a ganhar notoriedade. Com inúmeras vitórias e conquistas, como uma medalha Olímpica e o terceiro lugar na Copa do Mundo, ficou impossível não notar o talento da nossa seleção.

De lá pra cá, sabemos que ainda enfrentamos muitos obstáculos, mas o padrão foi quebrado: futebol é coisa de mulher, sim!

Hoje, nossa seleção ocupa a nona colocação do Ranking Mundial de Seleções da Federação Internacional de Futebol, sendo 7 vezes campeã da Copa América Feminina, duas medalhas olímpicas e 4 medalhas nos Jogos Panamericanos. Além de, é claro, termos a melhor jogadora de futebol do mundo, Marta, que já foi escolhida como a melhor seis vezes, cinco delas consecutivas.