Como praticar exercícios regulares pode te proteger contra os sintomas graves da COVID-19

Em 18/07/2022
Editoria
Imagem de uma aula de Yoga da Mude. Mulheres se alongam nos seus tapetes de yoga.

Recentemente, o US Centers for Disease Control and Prevention (CDC), situado no estado da Georgia, nos EUA, publicou um estudo que compara os dados de hospitalização, internação na unidade intensiva (UTI) e mortalidade da COVID-19, considerando a prática de atividade física dos pacientes acometidos pelo vírus.

O objetivo era identificar o risco corrido por pessoas sedentárias e criar um guia de proteção contra os sintomas mais graves da COVID-19, para que a sociedade possa se proteger através de modificações no estilo de vida e alimentação.

“Entre todos os pacientes com COVID-19 que estudamos, 8,6% foram hospitalizados, 2,4% deram entrada na UTI e 1,6% morreram. Aqueles que praticavam exercícios físicos consistentemente tiveram menor probabilidade de serem hospitalizados, internados na UTI ou morrerem relacionados ao COVID-19 do que aqueles que estavam inativos ou fazendo pouca atividade.”, diz o artigo publicado na British Journal of Sports Medicine.

A atividade física e os antioxidantes

Segundo a publicação, os exercícios estão diretamente ligados à redução do estresse oxidativo, que é o desbalanço entre radicais livres e antioxidantes em nosso corpo.

Uma revisão publicada recentemente na National Library of Medicine mostra que o estresse oxidativo pode resultar em consequências que se agravam em condições patológicas como a SARS (Síndrome Aguda Respiratória Severa), doença que se desenvolve em casos graves após o contágio pelo vírus Sars-CoV-2. O antioxidante que chamamos de EcSOD (do inglês: extracellular superoxide dismutase), produzido naturalmente pelos nossos músculos, é um potente antioxidante que combate os radicais livres e nos protege contra doenças, principalmente em doenças pulmonares. Ou seja, quem mantém uma rotina de prática de exercício regular, pode estar mais protegido contra os sintomas mais graves da doença, justamente pela maior produção de antioxidantes no corpo.

O que pode ser definido como “prática regular”?

O Guia Americano de Atividade Física determina que todos os seres humanos adultos devem praticar exercícios físicos moderados por pelo menos 150 minutos (duas horas e meia) por semana. Ou seja, dois a três treinos ou aulas por semana já é o bastante para estar protegido.

💡
Que tal começar hoje? No App da Mude, você pode se inscrever em aulas gratuitas presenciais próximas a você, ou começar uma rotina de exercícios em casa mesmo, com o nosso material On Demand. Venha se movimentar com a Mude.

Nos vemos lá fora,

ou onde você estiver,

Mude.